Notas Apresentação

1 1. Introdução

1. Introdução

A colheita e processamento de dados oceanográficos só faz sentido se a informação gerada for útil produção de bens e serviços, isto é, quando pode contribuir para a realização de serviços e produção de bens a partir do mar e zonas costeiras adjacentes.

A colheita de dados oceanográficos pode ser motivada pelo seguinte, entre outros:

-      Demanda de conhecimento e informação para exploração do mar e dos seus recursos

-      Curiosidade científica

-      Inovação Tecnologia

-      Aventuras no oceano

A fase inicial da história de Ciências Marinhas esta associada com histórias de viagens marítimas –com a navegação.

Os primeiros estudos marinhos tiveram objectivos práticos: facilitar viagens marítimas, trocas comerciais, e guerra.

Mais tarde é que se desenvolveu Ciências Marinhas com o objectivo de explorar o saber sobre o Mar e processos associados.

Na era dos descobrimentos as aventuras pelo mar nortearam o avanço no conhecimento sobre a hidrografia e ciências do mar e inovação tecnologia.

A Primeira e Segunda Guerra Mundial contribuíram bastante para o conhecimento do mar e para os avanços na tecnologia de observação do mar e surgem as primeiras instituições dedicadas a oceanografia.

Com o surgimento das Nações Unidas, estabelece se a COI- uma organização intergovernamental que visa harmonizar as observações e governação do mar – O mar é único – Estabelece-se a Lei do Mar.

 

Nos Seculo XX desenvolvem-se varias áreas de ciências do mar visando a exploração dos recursos nele existente – pescarias, minerais, hidrocarbonetos.

A prospeção e avaliação dos recursos norteiam as observações e processamento de dados do mar

Muito recentemente os problemas de sobre-exploração dos recursos e os desafios impostas pelas das mudanças climáticas dominam tanto as agendas dos cientistas como dos gestores. A exploração racional/sustentável dos recursos norteia as observações e processamento de dados do mar

E, não menos importante, a crise energética mundial nos arremete para o aproveitamento das energias do mar, daí a necessidade de conhecimento - dados e informação oceanográficas para o aproveitamento de energias do mar.

A Oceanografia Aplicada pode ser definida como o desenvolvimento de técnicas de colheita e análise de dados oceanográficos necessários para o apoio sistemático de uma actividade específica – significa a sistematização de conhecimento e informação para os utilizadores. Oceanografia aplicada é o uso de conhecimentos oceanográficos para responder a questões de uso e aproveitamento do mar e dos recursos nele existentes, que podem ser de natureza ecológica, económicas, de gestão e de políticas.

Neste trabalho põe se enfâse a Oceanografia Aplicada, a necessidade de dados e informação oceanográficos para:

-      Ajuda a navegação

-      Apoio a operações no mar

-      Gestão de pescarias

-      Apoio a operações de pesca

-      Apoio a actividades de laser – praias e desportos marítimos